Total de visualizações de página

quinta-feira, 30 de junho de 2011

"A função da divisão do trabalho", Émile Durkheim


Após definir o objeto da sociologia, o fato social, e o método para seu estudo, Durkheim aborda o meio social a partir das funções sociais desempenhadas pelos indivíduos que o compõe. Segundo ele, cada individuo tem sua singularidade, havendo ainda uma necessária interconexão entre os indivíduos para compor o todo, dentro desse todo, cada um teria sua função social.
elemento central é a chamada solidariedade, podendo esta ser mecânica ou orgânica.
A solidariedade mecânica seria resumidamente uma solidariedade ditada por semelhanças, é característica das sociedades primitivas, havendo pouca ou nenhuma divisão do trabalho.
A orgânica por sua vez seria uma solidariedade baseada no “consenso”, onde ha uma intensa divisão social do trabalho, gerando uma intensa especialização de funções, vinculando assim o individuo a coletividade e é típica de sociedades mais avançadas.
A solidariedade social para Durkhein, é, de modo geral, formada pelos laços que ligam os indivíduos membros de uma sociedade, formando uma coesão social.
Os dois tipos de solidariedade já citados anteriormente estão relacionados com o “espaço” ocupado na mentalidade dos membros da sociedade pela consciência coletiva e pela consciência individual.
A primeira seria o conjunto de crenças e sentimentos comuns a maioria dos membros de uma determinada sociedade. a consciência coletiva é em suma o reflexo da própria sociedade e é adquirida pelo individuo através dos processos de socialização naturais que ocorrem ao longo da vida.
A consciência individual, como o próprio termo diz, é aquela especifica de cada um, composta por suas individualidades , hábitos, crenças e pensamentos próprios de cada individuo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário