Total de visualizações de página

domingo, 6 de agosto de 2017

Neutralidade



Na ciência moderna modifica-se o raciocínio,
Com retidão e clareza busca-se a verdade
Assim ídolos e paixões defrontam o declínio
E a razão se funde com a neutralidade.

Não há mais espaço para especulação
Na possível dúvida, julga-se incerto;
Os sentidos enganam a percepção
Certo é: se penso, estou desperto.

Caminhos e experiências diferentes
Alteram a apreensão da realidade,
O que não cria antecedentes
Para que possa-se mensurar a racionalidade.

Na vã contemplação
Os frutos somem
De nada ampara a abstração
No bem-estar do homem.

Conhecimento na neutralidade,
Para Bacon e Descartes,
Nada mais que se opor à alienabilidade.
Afora o Escola Sem Partido,
Aonde toda experiência perde o sentido.

Gustavo Lobato Del' Alamo - Direito 1º ano - Matutino

Nenhum comentário:

Postar um comentário