Total de visualizações de página

domingo, 13 de agosto de 2017

Desconstrução da ordem para que haja o progresso!




 Em meio ao contexto histórico do Cientificismo, protagonizado por Descartes e Bacon (os quais seriam os precursores da filosofia positiva), a razão ganha o total poder de explicar o mundo, seja este em sua forma física ou social, com o predomínio das Ciências Naturais. Daí surgiria a chamada "física social" comteana, no século XIX, um pensamento sociológico sistematizado, com um objeto de estudo definido (a própria sociedade), conceitos e método científico baseados nas Ciências da Natureza, com a definição de princípios reguladores e leis efetivas/invariáveis para se explicar o fenômeno social. A partir daí surge uma ciência capaz de compreender e solucionar os males da sociedade, principalmente após as Revoluções Liberais do final do século XVIII, a fim de  se restabelecer a ordem e se criar instituições não mais provisórias, mas sim definitivas.  

 A corrente positivista rompe com o espírito teológico e metafísico, estágios históricos de construção do conhecimento considerados imaturos, insuficientes, nos quais a razão não se encontrava em sua máxima supremacia e virilidade. No estado positivo, o homem consegue despir-se do sobrenatural, do transcendental para explicar o mundo à sua volta, é o grau mais evoluído da construção do conhecimento, o amadurecimento final do espírito humano. A filosofia positiva passa a valorizar tudo o que é real, útil e certo. 

 Não há mais, portanto, uma preocupação com as causas mais íntimas e profundas dos fenômenos, mas sim com a sua compreensão a partir do uso da razão e da observação, a fim de se formular as leis gerais e efetivas de explicação do mundo, ou seja, busca-se um conhecimento pragmático acima de tudo. A partir disso, tem-se uma analogia newtoniana dentro do próprio pensamento positivista, sendo as leis da natureza utilizadas na Física aplicadas à Sociologia. A Estática seria o princípio regulador da Ordem, com as suas mais diversas instituições: religião, família, hierarquia, Estado, leis e a moral humana, já a Dinâmica seria o princípio regulador do Progresso, da ação efetiva que levaria ao desenvolvimento humano. 

 É inegável o atual enraizamento e influência do Positivismo nas práticas sociais e políticas brasileiras. Apesar de sua conotação conservadora, ele foi responsável por influenciar o pensamento do Exército brasileiro e desencadear a proclamação da República em 1889. Na contemporaneidade, faz-se necessária a desconstrução de velhos costumes e ideias advindos do senso comum e de modelos institucionais arcaicos, que não mais se adequam à nossa conjuntura social atual, a fim de que se entenda a importância da existência da pluralidade em uma sociedade democrática, livre de preconceitos e de qualquer forma de intolerância.


Juliana Beatriz de Paula Guida - 1°ano - Direito Matutino

Nenhum comentário:

Postar um comentário