Total de visualizações de página

segunda-feira, 7 de agosto de 2017

Um pouco mais que animais

A humanidade tem moldado e transformando matéria para sobreviver a tempos, e transformar a si mesma é de extrema importância, porquanto os grupos foram crescendo e se complicando a mesma medida, chegando em sociedades imensas como as que temos hoje, e para que haja um convívio razoável, com justiça, verdade nas relações de confiança; venda; troca, é necessário que nos tenhamos aquilo que nos torna mais do que animas o bom senso, a razão, a lógica, um conjunto de experiencias, memórias, reflexões, que nos fazem decidir de forma menos prejudicial. Portanto todos sendo portadores de razão podemos discernir o que é verdade, da mentira, pela visão, tato e os demais sentidos é possível compreender o mundo, mas esses sentidos podem ser enganados, significando que por possuir logica não significa que é verdade. Em muitos discursos e argumentos há presença de uma lógica muitas vezes inconsistente, já que essas lógicas estão equivocadas e sem dados certos. São só frutos de uma reflexão. Para que a humanidade avance, e os conhecimentos avancem precisa-se do bom senso, mas não foi só a razão, para que tudo isso aconteça instrumentos auxiliares se fizeram necessários, a razão por si só pode não chegar ao objeto real, do contrario seria impossível que humanos continuassem em progresso sem métodos e auxílios a logica, afinal a verdade dependia dessa fusão, com uma metodologia, uma estrutura mental, instrumentos mentais a sociedade e os discursos passam a ter muito mais consistência e peso, afinal essa fusão aproxima a verdade. Os debates saem dos erros que se perpetuaram só pela logica, das noções comuns, distantes do real, para uma argumentos reais, e que se pode ter mais confiança, que tendem a serem neutros e fruto de pesquisas, e estudos. Essa fusão cria uma nova linha de pensamento, um pensamento cientifico, em que as afirmações têm bases solidas. Uma nova época em que se descobre o real, e não se cria variações do que já existia como acontecia antes.
Lucas Luiz Cavalcanti 1ºANO DIREITO (diurno).

Nenhum comentário:

Postar um comentário