Total de visualizações de página

segunda-feira, 7 de agosto de 2017

Realidades alternativas

            A busca pelas certezas na vida é frequentemente a base que leva às reflexões de muitos filósofos, assim criando diversas vertentes na filosofia. Uma conhecida disputa é a do empirismo de Francis Bacon contra o racionalismo de Descartes. Dadas suas diferenças, com um focando apenas em experiencias e o outro focando na razão, ambos procuram esclarecer a vida humana e dar um valor a tal.
            Um grande exemplo atual do estudo do racionalismo de Descartes com elementos do empirismo de Bacon é o filme Matrix, de 1999. Onde se é explorada a primeira “real” afirmação de Descartes, que, após duvidar até mesmo de sua existência, chegou à uma das frases mais reconhecidas no mundo da filosofia, a “cogito, ergo sum” (penso, logo sou).
            No filme se explora a possibilidade de nada sobre o mundo em que vivemos ser real, onde os seres humanos apenas existem em outro planeta, e tudo o que existe é apenas uma criação da mente e das máquinas. Isso foca na principal ideia de Descartes, anteriormente mencionada, pois, após ele ter duvidado de tudo, chegou a conclusão que ele estava duvidando e pensando, portanto existiria. Correlacionando com a Matrix, sabemos que existimos pois pensamos e duvidamos de diversas questões, como a própria existência em si.
            Por fim, existe também um toque do empirismo de Bacon, afinal, após ser liberto da Matrix, Neo começa finalmente a ter experiências reais, isso ajuda a moldá-lo junto com o novo mundo ao qual ele tem que se acostumar e o empirismo acaba o guiando pela sua jornada. Por fim, pode-se dizer que apesar das duas teorias serem opostas, elas podem se complementar dependendo da situação.

César Augusto Matuck dos Santos

Dir. Noturno, 1º ano

Nenhum comentário:

Postar um comentário