Total de visualizações de página

sábado, 12 de agosto de 2017

Questionamentos

Ao serem estudadas, as propostas do Positivismo, de Comte, podem dizer muito a respeito da nossa sociedade. Posto que é defendido o desenvolvimento da mesma por meio da ordem, nos cabe questionar se hoje é possível dizer que essa dinâmica vem do estático, do organizado. Mas, pelo visto, não.
O que seria o empoderamento das mulheres sem a queima do primeiro sutiã? O que seria a institucionalização do casamento homoafetivo sem o primeiro? O que seria o progresso sem a ruptura?
O que temos aqui são desconstruções que alimentaram e alimentam a liberdade individual, o respeito mútuo e, por consequência, o desenvolvimento das nações, pois o padrão esvaiu-se a ponto de permitir essas mudanças - ou seja, o dinâmico.
Claramente, esse padrão é institucionalizado pela ordem e pela necessidade de manter o estático, sendo essa última geradora de muitos questionamentos.
Mas, que ordem é essa? De onde veio? Em que ela se inspirou? No mínimo, podemos dizer que a ordem veio para limitar e padronizar o comportamento humano, a fim de estabelecer o normal, o esperado e o moralmente colocado e, assim, evitar as possíveis anomalias - se esquecendo, então, da essência de cada indivíduo e de sua particularidade.
Por isso, no que se diz respeito ao analisado por Comte, não há como defender que o comportamento do indivíduo seja guiado por leis invariáveis e, por assim ser, seguir a ordem pré-estabelecida pela própria sociedade. Nós não somos padrão e não devemos segui-lo, pois somos individuais.
Felizmente, essas atitudes estáticas vêm se dinamizando e, como muito defendido, proporcionando o desenvolvimento da humanidade, quanto estrutura complexa e repleta de particularidades de seus componentes.

Mas, aliás, o que é desenvolver-se?


Vivian Facioli H. Mello - 1ª ano noturno

Nenhum comentário:

Postar um comentário