Total de visualizações de página

segunda-feira, 7 de agosto de 2017

Ciência x Senso Comum

Podemos considerar que o senso comum, em seu sentido geral, foi e ainda é uma ameaça para o desenvolvimento de qualquer sociedade. Descartes e Bacon são excelentes exemplos de pensadores que prezavam para a ruptura com esse senso comum. Para tanto, a responsável por essa quebra seria a ciência, devendo estar em uma “busca permanente por novos sensos comuns”.
Para entender melhor, basta analisarmos o nosso cotidiano. Nossos pensamentos são influenciados a cada momento, seja pela mídia, pela religião ou pelas pessoas que nos cercamos. Assim, é normal nos deixarmos guiar por paixões e noções pré-moldadas e é nesse ponto que o problema reside, uma vez que certos pensamentos nossos podem ser nocivos ao bem estar da sociedade. Podemos exemplificar citando a xenofobia, a homofobia e o racismo. Além desses preconceitos, a formação de uma opinião política e moral dos indivíduos pode se encontrar tão imersa no senso comum que não há lugar para questionamentos ou análises mais profundas a cerca do tema, tornando esses uma massa facilmente manobrável.
Os pensadores anteriormente citados já reconheciam tal problema e por isso defendiam que houvesse uma diferenciação do senso comum da ciência e da sociedade, uma vez que certas “verdades” já concretizadas pela sociedade podem não ter nenhuma base racional, e sim passional.

Visto isso, buscaram estabelecer métodos simples que poderiam facilitar a chegada à clareza. Nesse ponto, pode-se dizer que esses métodos voltados para a ciência podem ser aplicados no nosso dia a dia. Descartes fala sobre a importância de questionarmos tudo aquilo que abre espaço para a menor dúvida que seja. Com isso já podemos nos livrar de muitas noções preestabelecidas, libertando nosso pensar de inúmeros equívocos que o meio nos impõe. Desse modo, é possível concluir que tais métodos, mesmo criados em um contexto bastante distinto do atual e com um viés puramente científico,  podem se tornar muito uteis no cotidiano de pessoas comuns.

Érika Luiza Xavier Maia- 1º ano Direito Noturno

Nenhum comentário:

Postar um comentário