Total de visualizações de página

segunda-feira, 7 de novembro de 2016

Cotas e a realidade social

     O sistema de cotas gerou e continua gerando muita polêmica. Muitos avaliam se esse sistema é realmente eficiente e necessário. As pessoas que são contra, alegam que todos devem ser iguais perante a lei e, dessa forma, concorrer no mesmo patamar de igualdade no vestibular por uma vaga na universidade. Porém, como ter igualdade perante a lei entre grupos que já são desiguais na sociedade?



   
     A desigualdade que os negros sofrem na sociedade atual é derivada de muitos anos atrás, é advinda dos tempos de escravidão, época em que o negro era visto como um objeto, uma mercadoria, e não um ser humano. Não era admitido que negros tivesses seus direitos garantidos e preservados. Com a abolição da escravidão, os negros foram marginalizados na sociedade e para conseguir sobreviver se submetiam a condições desumanas de trabalho. Muitos anos depois, ainda podemos ver esse reflexo na sociedade, como por exemplo observando que cargos de "alta importância" não são preenchidos por negros, salvo algumas exceções. É desde aquela época que os negros não possuem as mesmas oportunidades que os brancos. A política pública de inserção após a escravidão está sendo ressarcida com as cotas.
     A população que está sendo incluída no sistema de cotas representa a maioria da população e ao mesmo tempo a minoria presente nas universidades. Essa medida é uma tentativa razoável para diminuir a desigualdade, pois ainda a porcentagem é baixa. Elas fornecem o mínimo de oportunidades, até que a raiz do problema seja modificado. O sistema é falho, porém se faz necessário no momento. Sabe-se que o grande problema, além da dívida histórica, é a qualidade do ensino público, que atualmente é muito baixa. Se torna um ciclo vicioso, pois os negros não tem acesso ao ensino privado e acaba recorrendo ao público, e isso diminui mais ainda suas chances de competir por uma vaga na universidade em patamar de igualdade.
     Muitos ainda insinuam que se o negro não teve uma educação de qualidade não irá conseguir aguentar a carga de estudos em uma universidade, sugerindo que eles desistiriam e aquela vaga seria "desperdiçada". Porém, há pesquisas que comprovam que essas ideias não condizem com a realidade...
   


    Relacionando as ideias do tema com o autor Boaventura de Souza Santos, podemos dizer que a sociedade possui um grande fascismo social, excluindo certas classes, juntamente com sua representação. Os negros estão sendo vítimas desse fascismo social moderno. 
     
     Segundo o autor:
"Lutar pela igualdade sempre que as diferenças nos discriminem;
lutar pelas diferenças sempre que a igualdade nos descaracterize."


Bruna Flora Brosque
1º ano de Direito - Diurno

Nenhum comentário:

Postar um comentário