Total de visualizações de página

terça-feira, 8 de novembro de 2016

Claramente evidenciado do enem 2016, vê-se a dificuldade dos exercícios incompatível com a qualidade do ensino público brasileiro. Como o investimento na estrutura e alteração do sistema educacional do brasil não ocorre de maneira efeitiva a anos, sem perspectiva de melhora com as propostas da PEC 241, o sistema de cotas é claramente algo necessário e justo.
A igualdade perante a lei, tão utilizada pelos contrários ao sistema de cotas, não pode ser invocada apenas em um momento da vida do cidadão brasileiro. A igualdade deve começar no início da vida para que seja possível invoca-la posteriormente.  Boaventura de Sousa Santos afirma que a igualdade é obrigada a reconhecer as diferenças históricas por trás de qualquer indivíduo e procure não perpetuar nenhuma desigualdade.
Por essa perspectiva, as cotas raciais se encontram em pauta. A dívida histórica e os preconceitos encontrados em todas as áreas da vida de um cidadão negro nos obriga a reconhecer e conceder esse direito. Porém, a mudança não será suficiente apenas no ambiente universitário. É necessária a discussão e rápida alteração do preconceito tanto no ensino básico quanto no mercado de trabalho. Para que a diminuição desse problema não terne mais a implantação de cotas imprescindível.

Helena Lamante Scotton - Diurno

Nenhum comentário:

Postar um comentário