Total de visualizações de página

segunda-feira, 24 de outubro de 2016

Liberdade...

   
    O anime Hourou Mususko(Wandering Son, 放浪息子) conta a história de um garoto, Shuichi Nitori que começa a se identificar como uma garota, usando roupas e com o tempo aceitando-se como garota e seu relacionamento com Yoshino Takatsuki, uma garota que se identifica como um garoto. Esse anime pode ser usado como amostra de um evento cada vez mais visibilidade e importância na sociedade, tanto no Brasil, quanto no mundo, a discussão sobre a transexualidade e sua parte mais drástica a cirugia de transgenitalização. Recentemente houve debates se esse procedimento deveria ser custeado pelo estado, levando-se em conta uma falta de recursos para a área da saúde e uma crise econômica, qual seria a opção correta?  
     
    Segundo Max Weber o direito segue a racionalidade formal e a material, na formal seria o Direito positivado e sua lógica, na material seria os ideias por trás do Direito, que mostram sua lógica interpretativa. Nessa situação deveria se balancear a legalidade,  aquilo que está escrito nas leis, as ações possíveis e o impacto que elas causariam na sociedade, e os ideias de nossa sociedade como liberdade e igualdade, e a conjectura atual, levando em conta  a possibilidade do pedido e o prejuízo causado por essa decisão.
    
    Ligando-se a teoria de Weber com o caso atual vê-se uma decisão complexa, falta de recursos contra a própria liberdade humana, as duas decisões tem sua lógica, priorizar a saúde de um maior número de pessoas, sacrificando o bem estar social e psíquico de um grupo ou diminuir a quantidade de recursos disponíveis para a maioria e priorizar o sofrimento igualmente real de um outro grupo. Com Weber essas duas conclusões poderiam ser feitas, mas pelo espírito atual das leis em igualar legalmente e socialmente os grupos por meios de direitos e integração social, seria ais razoável a realização da cirugia pelo estado para no mínimo diminuir o sofrimento de uma pessoa que sofre social e psicologicamente, ajudando um grupo que sofreu e ainda sofre preconceito.

Juan Antonio Miranda Castilho - 1° ano - matutino

Nenhum comentário:

Postar um comentário