Total de visualizações de página

terça-feira, 9 de agosto de 2016

O fato social e o amanhã

Émile Durkheim foi um sociólogo, psicólogo social e filósofo francês que se inspirou no positivismo de Augusto Comte e que veio a discordar do mesmo em relação à analise das sociedades, uma vez que para Durkheim cada sociedade deveria ser analisada separadamente e a ela sempre se sobreporia ao indivíduo.
Durkheim define em sua obra o fato social, que são ações e hábitos que parecem ser de nossa própria vontade, mas que na verdade nos são impostos, ainda que não percebamos, pois há vezes que estamos tão habituados a eles, que a força não se faz necessária. Ele define ainda que os fatos sociais deveriam ser analisados como coisas, criticando as análises ideológicas,e que nem sempre o fato social é algo bom,  podendo se tornar nocivo a nós em alguns casos, precisando ser combatido quando isso ocorrer. Exemplo disso é a repressão sofrida por um indivíduo que está em um  lugar onde segundo a sociedade ele não se encaixa, como quando há uma matéria online sobre alguma mulher se destacando em um meio que a sociedade considera ser masculino e diversos comentários negativos são feitos apenas com o intuito de repreende-la.

Para Durkheim, os fatos sociais são condicionamentos impregnados na sociedade arrastando consigo seus ideais, apesar disso, caso conseguíssemos mudar os fatos sociais que exercem coerção sobre os indivíduos teríamos uma sociedade melhor para todos já que à guiaríamos para um caminho pacífico e longe de amarras.

José Eugênio da Silva Mendes - direito diurno - 1o ano

Nenhum comentário:

Postar um comentário