Total de visualizações de página

terça-feira, 9 de agosto de 2016

                                             Durkheim, Direito e o Consumismo 
Durkheim é considerado um dos pais da sociologia moderna principalmente por caracterizá-la como ciência e tentar trazê-la para um âmbito mais palpável utilizando métodos que se relacionam muito à teoria de Bacon, por exemplo, que analisava a sociedade como tal sem visões utópicas e românticas. Durkheim também se aproxima de Comte buscando nele o espírito cientifico que a sociologia precisava em sua época, o séc. XIX, para ser levada com mais seriedade apesar de até hoje termos uma desvalorização da matéria nas escolas brasileiras mesmo depois de provada sua importância e eficiência.
Para o sucesso dos experimentos sociológicos Durkheim afirma que o observador ou estudioso deve tentar manter-se completamente neutro e imparcial pois qualquer interferência no meio já adultera os resultados e chega-se a conclusões imprecisas. É consenso de muitos sociólogos que só o fato de uma sociedade ser observada já a altera, criando um desequilíbrio na organização natural da mesma.
Tudo, de acordo com Durkheim, gira em torno dos fatos sociais, que são todas as maneiras de agir, pensar e sentir, porém exteriores ao indivíduo, ou seja, são provenientes de uma pré-organização dos homens entre si e tem um poder de coerção padronizando o modo de agir de todos os indivíduos. Alguns exemplos de fatos sociais são: o casamento, os grupos de amizade, a família, entre muitos outros. Não há exemplo mais claro do que o Direito em si, uma vez que este é repleto de normas e têm poder coercitivo sobre os indivíduos. A pena sofrida pelos desrespeitos do direito, que é inegavelmente uma representação das considerações morais da maioria, faz com que a coerção aconteça não só pelo Estado mas também pela visão negativa da sociedade em si.
Pode-se chegar à conclusão de que a ideia de Durkheim é completamente atemporal. Hodiernamente percebemos o encaixe perfeito dos fatos sociais interligados com o espírito consumista e individualista cada vez mais aguçado, muitas vezes, por exemplo, na necessidade da posse de bens materiais para a aceitação no meio em que vive. Assim, utilizando as ideias de Durkheim podemos analisar a situação atual e fazer manutenção de uma sociedade em que as crenças do que é válido e efetivo estão distorcidas e manipuladas.

Helena Scotton - Diurno - 1° ano 

Nenhum comentário:

Postar um comentário