Total de visualizações de página

sábado, 6 de agosto de 2016

A Imprescindibilidade do Fato Social

Pode-se afirmar, sem sombra de dúvidas, que toda a análise de Émile Durkheim remete à ideia do Fato Social. Para este autor, o Fato Social é de suma importância para a compreensão da sociedade, devendo, por este motivo, ser tratado como coisa.

Considerado por muitos o pai da Sociologia, Durkheim traz uma concepção interessante acerca da ciência humana. O pensador afirma que deve-se, primeiramente, realizar uma observação profunda do objeto estudado (no caso, o fato social) para, apenas posteriormente teorizar sobre o assunto. A análise deve ser feita partindo das coisas para as ideias - nunca o contrário.

É interessante estabelecer a dialética entre a visão social de Comte e de Durkheim. Para este, a sociedade é algo relativo, sendo que cada grupo social possui suas próprias características. Já Augusto Comte trata a sociedade como algo universal. Na sociologia moderna, é certo afirmar que um estudo baseado na concepção Durkheimiana certamente renderá mais e melhores frutos, já que a essência da sociologia é o estudo das particularidades possuídas por cada conglomerado social. Ora, muito pouco (ou mesmo nada) caberia à sociologia se todas as sociedades fossem idênticas.

Outro ponto bastante importante na obra de Durkheim encontra-se na maneira com a qual o autor trata a psicologia. Émile reitera que as explicações encontradas para os fatos sociais residem - única e exclusivamente - em outro fato social. Sendo assim, toda análise produzida pelo psicologia acerca deste objeto de estudo tende a ser errônea.

Conclui-se, desta maneira, que o legado de Durkheim é importantíssimo para entendermos como funciona e como deve funcionar o estudo social. Sua obra renova a ideia de Sociologia, mostrando-se de grande relevância à contemporaneidade.


Thales Flausino Alves Ferreira - Direito (matutino), 1º ano.

Nenhum comentário:

Postar um comentário