Total de visualizações de página

domingo, 9 de agosto de 2015

Sobre valores




    Segundo Max Weber, a Sociologia, pautada em um método compreensivo e interpretativo,  deveria ter como foco a ação social. Aquela ação individual, com sentido próprio, dirigida para a ação de outros. Por isso que a sociedade só poderia ser compreendida a partir das conexões de sentido engendradas pela ação dos indivíduos. Com efeito,  a sociologia, para Weber, é a ciência do imponderável, do imprevisível, já que as ações humanas não permitem ser identificadas antes de ocorrerem de fato. Visto que o individuo pode agir de diferentes maneiras em diferentes situações.
   Esses valores vem de algum lugar, vem das relações sociais que esse indivíduo entabula que ultrapassam a dimensão de classe, vem de repente de um grupo de teatro do qual participa, da universidade que frequenta, da fé que professa, entre outros. Por que os indivíduos estão agindo dessa forma? Quais os valores que engendram a ação desses indivíduos? 
     É sob essa perspectiva que se pode analisar essa história em quadrinho mafaldiana. Sabe-se que Manolito, personagem a qual Mafalda se dirige, é o empresário mirim da turma, é bastante materialista e ambicioso, por vezes, tenta vender a qualquer custo os produtos singulares do armazém de seu pai, Dom Manolo, muito interressado por seus negócios e lucros. Não raro, seus discursos estão associados ao dinheiro. Conforme fica explícito nesse caso,  visto que aponta como valores essenciais aqueles cotados pelo mercado em detrimento de valores como os espirituais, artísticos e humanos, rompendo com as expectativas de Mafalda.

    Relações do tipo “eu vendo, você compra” são ações individuais, mas que já formaram uma espécie de relação social. Com efeito, segundo Weber, é imprescindível a busca por conexões de sentido a partir do valor do outro, pois é dentro de uma rede de valores que as ações ganham sentido. Pois esse sujeito tem a liberdade de aderir a tais e tais valores, porque pode estabelecer livremente relações sociais que vão forjar esses valores. Por isso que é compreensível, se vislumbrar a determinação de determinados valores onde nós não esperaríamos. Dessa forma, deve ser compreensível a ideia de que certos atores creem como mais úteis e essenciais os valores de mercado, enquanto outros, como Mafalda (observa-se a sua feição de expectativa no terceiro quadrinho), não o faz.


Yasmin Commar Curia
Primeiro ano- Direito

Nenhum comentário:

Postar um comentário