Total de visualizações de página

segunda-feira, 10 de agosto de 2015

Individualismo


Nascido em 1864, na Alemanha, Max Weber foi um jurista e economista considerado um dos criadores da sociologia moderna, conhecida como compreensiva. Os sociólogos de maior destaque que antecederam Weber foram Marx e Durkheim. Para esses dois autores, a realidade social era algo natural, ou seja, as formas de existência coletiva eram mais importantes que o indivíduo em si.
Uma das rupturas de Weber com a sociologia da época foi o fato dele considerar que o coletivo não é mais importante que o indivíduo. Além disso, a sociologia compreensiva busca entender e interpretar a ação social e também aceita que não é possível que um sociólogo faça uma análise completamente neutra, como defendiam Durkheim e Comte.
Para Weber, ação social é aquela orientada aos outros, sendo classificadas por ele em quatro tipos fundamentais: ação racional com relação a um objetivo, ação racional com relação a um valor, ação afetiva ou emocional, ação tradicional.
Utilizando a sociologia compreensiva para analisar um caso prático, é possível utilizar as particularidades do indivíduo para compreender alguma ação social, diferentemente do materialismo dialético, por exemplo, que irá explicar a ação através do grupo a que esse indivíduo pertence. Ou seja, no caso do ônibus 174, por exemplo, o viés compreensivo irá analisar toda a trajetória pessoal do rapaz que sequestrou para tentar entender o que o motivou a praticar tal ato. Enquanto o marxismo explicaria embasado apenas na classe social do garoto.
Em suma, a importância de Weber está no fato dele ter sido o primeiro sociólogo a reconhecer como os aspectos individuais de cada pessoa são importantes, ao invés de foca apenas do coletivo.

Luís André Vidotti -1º ano direito noturno

Nenhum comentário:

Postar um comentário