Total de visualizações de página

domingo, 12 de maio de 2013

A explicação do fato social

Dando continuidade ao estudo do objeto principal de sua teoria sociológica, Émile Durkheim apresenta as regras relativas à explicação dos fatos sociais formuladas por ele.
Lembrando que, para Durkheim, fato social é “toda maneira de agir fixa ou não, suscetível de exercer sobre o indivíduo uma coerção exterior”.
E a função dos fatos sociais nada mais seria do que "manter a causa preexistente da qual eles derivam". Ela representa as necessidades gerais e intrínsecas do organismo social.
Inicialmente ele afirma que a explicação dos fatos sociais não é vinculada exclusivamente à satisfação das necessidades sociais imediatas e que ela sempre está ligada a outro fato social.
O surgimento das instituições e/ou práticas sociais não se dá do nada, da simples vontade, ele vem de necessidades, de causas eficientes que se unem ao ordenamento geral do organismo social. E elas (instituições e/ou práticas sociais) podem mudar sua função através do tempo sem que se mude sua aparência exterior.
Durkheim ainda afirma, mais uma vez, a importância da sociedade em relação ao indivíduo, do poder exercido por aquela sobre este. Isso se dá através da declaração de que não é a soma das consciências individuas que representa a sociedade, de que não são as disposições gerais que explicam o caráter geral dos fenômenos sociais, de que as disposições engendradas pelo social não podem ser classificadas como individuas e/ou psicológicas. São as características da associação que condicionam o funcionamento da vida social.
Outro ponto importante é a ideia de que a definição do componente humano do meio social se dá por características da densidade dinâmica e da densidade material, e que a transformação delas modifica as condições gerais de existência da sociedade. E as características gerais inerentes ao meio social interno refletem-se no comportamento característico dos meios sociais particulares
Além disso, Durkheim defende que a explicação dos fenômenos sociais não está na história, mas que elas são próprias de cada sociedade e critica as concepções de sociedade de Hobbes e Spencer.

Letícia Roberta Santos
Texto referente ao livro "As regras do método sociológico”, mais especificamente ao capítulo “Regras relativas à explicação dos fatos sociais”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário